Topo

23 Janeiro 2018 2:46 pm

Crise, momento de inovar

Crise, momento de inovar

Cortar custos, enxugar cargos e promover reformas são medidas prementes, mas não suficientes

 

Mesmo em tempos normais, fazer a administração pública funcionar não é nada fácil, dado que o gestor precisa lidar com uma quantidade tão grande de variáveis – muitas das quais não estão ao alcance dele resolver -, que mesmo o melhor planejamento pode ruir da noite para o dia.

 

 

O orçamento previsto vai se concretizar? Das inúmeras necessidades, teremos acertado na escolha das mais prioritárias? A licitação vai correr da melhor forma? Haverá concorrência em número suficiente para que o preço seja o menor possível?

 

 

A empresa ganhadora vai conseguir entregar o serviço (e no prazo)? Dentro desse período, algo muito drástico vai ocorrer que nos obrigue a canalizar os mesmos recursos para outras fontes? Haverá interferências políticas que nos obriguem a mudar de rota? São apenas alguns dos muitos dilemas que assombram o gestor público em todas as partes do mundo – e no Brasil de um modo ainda mais exacerbado.

 

 

Em dias nublados como os que vivemos, em que as crises econômica e política emergiram ao mesmo tempo, criando uma tsunami que varreu os cofres da União, Estados e Municípios de uma hora para outra, gerir qualquer órgão público no Brasil não é, definitivamente, uma tarefa fácil.

 

 

Cortar custos, enxugar cargos e promover reformas são medidas prementes, mas não suficientes, já que a administração pública não pode parar de fazer entregas à população. É essa, afinal, sua razão de existir.

 

 

Desde o primeiro dia de 2015, a ordem no Estado de Mato Grosso, é racionalizar custos, promover reformas e enxugamentos mas, ao mesmo tempo, usar a criatividade para continuar assistindo a população com eficiência, sem perder a excelência.

 

 

Esse é o foco de todos, mas, aqui na MT PAR, usar a criatividade, estabelecer parcerias, buscar recursos de onde menos se espera, é missão do dia-a-dia, independentemente de crise ou bonança.

 

 

Em 2016, por exemplo, a MT PAR apoiou diretamente a SETAS na licitação do Projeto PPP Ganha Tempo, com participação de quatro empresas interessadas na parceria com o Estado; atuou com a SEDUC na modelagem de parcerias de investimento para o Projeto Pró-Escolas, que já começou uma revolução de inovação em todas os setores da educação estadual; esteve com a SES na contratação do Escritório de Projetos das Nações Unidas/UNOPS para modelagem do projeto Rede Cidade da Saúde e está finalizando com a SINFRA o processo de contratação do UNOPS para um projeto de fortalecimento institucional.

 

 

Todo o trabalho realizado parte da premissa de atuação em rede. Rede interna de servidores que compõem a equipe da MT PAR e que se comunica e se integra com os demais servidores estaduais e municipais.

 

 

Rede externa de parceiros que perpassa por áreas das mais diversas: bancos, instituições internacionais, estruturadores de projetos, institutos e fundações, empresas investidoras, etc.

 

 

Nesse sentido, firmamos compromissos de cooperação com entidades reconhecidas internacionalmente, como o BNDES com quem o Governo de Mato Grosso formalizou um acordo de Cooperação Técnica por dois anos, para estruturação do Programa de Parcerias de Investimento; o BID que atuará na SINFRA na elaboração e implementação do Plano Estadual de Logística e Transporte – tendo doado inicialmente US$ 1 milhão para os estudos; e o UNOPS que instalou um Escritório Regional de Projetos na sede da MT PAR.

 

 

E, além de tudo isso, promovemos o 1º Encontro de Investimento Social Privado em Mato Grosso, com o apoio do GIFE e a participação de 50 empresas, institutos e fundações locais e nacionais – todos potenciais parceiros do Governo do Estado quando o assunto é promover o bem-estar social e a inovação na gestão pública.

 

 

O ano de 2016 foi, sem dúvida nenhuma, de muito trabalho e prenúncio de um 2017 repleto de desafios. Sabemos que os recursos continuarão escassos, porém com foco e excelência seguiremos na missão de mobilizar investimentos privados para o Estado por meio da promoção e estruturação de parcerias de interesse coletivo voltadas para a entrega de bens e serviços públicos de qualidade para o cidadão mato-grossense.

 

 

Em 2017, na MT PAR, nosso foco é não sair do foco.

 

Maria Stella Lopes Okajima Conselvan é diretora-presidente da MT PAR

Postagens Relacionadas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *