Topo

22 Janeiro 2018 2:51 pm

Relatório da Sema aponta três locais impróprios para banho em MT

Relatório aponta que banhistas não devem frequentar trechos do Rio Cuiabá nas comunidades São Gonçalo Beira Rio e Bonsucesso. Estudo analisou 23 locais do estado.

m relatório realizado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente apontou que três locais de banho frequentados pela população se encontram impróprios para banho: trechos do Rio Cuiabá nas comunidades São Gonçalo Beira Rio (desde 2007), na capital, e Bonsucesso (desde 2003), em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá; e o Rio Paraguai em Barra do Bugres, a 169 km da capital.

Ao todo, o relatório da Campanha de Balneabilidade 2017 avaliou cinco amostras de 23 trechos dos principais rios mato-grossenses em 10 municípios, entre 19 de junho e 8 de agosto.

De acordo com o relatório, dos 23 locais analisados, 20 foram classificados como próprios para a prática de recreação e banho. Foram considerados “excelentes” para banhistas: a Praia do Pari (Cuiabá); o Rio Coxipó, na Comunidade de Coxipó do Ouro (Cuiabá); o Balneário Soberto, no Rio Coxipó Açu (Cuiabá); o Rio Claro (Cuiabá); a Marina do Altair, no Lago de Manso, em Chapada dos Guimarães, a 65 km da capital; a Praia da Arara, no Rio das Garças, em Pontal do Araguaia, a 518 km de Cuiabá; e a Praia do Quarto Crescente, no Rio Araguaia.

Na categoria “muito boa” estão: a Ponte de Ferro, no Rio Coxipó, na capital; a Praia das Embaúbas, no Rio Cuiabá, em Rosário Oeste; o Rio Bugre em Barra do Bugres, a 169 km da capital; a Praia Nortefly, no Rio Paraguai, em Nortelândia, a 254 km de Cuiabá; a Usina, em Diamantino, a 209 km da capital; e Catira, em Alto Paraguai, a 219 km de Cuiabá.

Foram considerados “satisfatórios” para os banhistas os seguintes locais: Rio Mutuca, em Cuiabá; a Praia de Santo Antônio e a Praia das Veredas, no Rio Cuiabá, em Santo Antônio do Leverger, a 35 km da capital; a Cachoeira da Martinha, Cachoeirinha e a Cachoeira dos Namorados, em Chapada dos Guimarães.

A Sema alerta que, nos últimos dois anos, há uma tendência de piora geral na qualidade da água, principalmente nos rios da região hidrográfica do Paraguai e Araguaia-Tocantins e que é importante evitar o banho após a ocorrência de chuvas de maior intensidade e a ingestão de água destes locais, sem o devido tratamento.

Gazeta MT/G1MT

Postagens Relacionadas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *