Topo

18 Fevereiro 2018 3:23 pm

A quem interessa o atraso de Tangará da Serra?

A quem interessa o atraso de Tangará da Serra?

A fazenda Itamaraty ou Ita Norte, localizada no município de Campo Novo do Parecis, é um dos maiores latifúndios rurais da América do Sul e o exemplo mais formidável de concentração de terras do Brasil. São 105 mil hectares de propriedade dos herdeiros do ex-rei da soja, Olacyr de Moraes, morto em 2015, em decorrência de um câncer de pâncreas. O mega empreendimento, altamente produtivo e diversificado, distante apenas 60 Km de Tangará da Serra, acaba de ser adquirido pelo grupo Amaggi, da família do senador licenciado e ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP).

A notícia da aquisição da extensa área pelo político Blairo Maggi, divulgada pela imprensa nacional, ganhou as redes sociais e gerou acirradas discussões. A origem da montanha de dinheiro movimentada, algo em torno de R$ 1,1 bilhão, deve interessar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), a Receita Federal, a PGR e a Polícia Federal. E, claro aos tolos do Facebook, que opinam com as narinas.

Nas redes sociais, a regra de ouro é ser do contra. Os militantes cibernéticos, ou militontos, são contra Lula, FHC, Michel Temer, Pedro Taques, Blairo Maggi e quem mais for possível. Quem não conhece Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis e desconhece a importância da Ita Norte para sua economia, tem todo o direito de falar abobrinha.

Os políticos e empresários de Tangará da Serra, respaldados pela imprensa, deveriam parabenizar o senador e ministro Blairo Maggi pela ousadia do investimento e por contribuir para com o desenvolvimento de toda a região

Inaceitável é ler comentários de empresários e até de políticos da cidade se manifestar contra a compra da propriedade pelo grupo empresarial liderado pelo ex-governador Blairo Maggi. Coisa de gente tola!

De acordo com informações prestadas pelo senador à imprensa nacional, a Fazenda Itamaraty será remodelada, otimizada e seu índice de produtividade será ampliado. Na sede da propriedade será construída uma cidade e pesados investimentos serão feitos na potencialização da produção de soja, algodão milho e proteína animal, além de energia e biodiesel.

Para movimentar um empreendimento desta magnitude milhares de postos de trabalho serão abertos e uma verdadeira fábula em insumos será aplicada. Tangará da Serra, por ser a cidade polo, possuir mão de obra qualificada, um comércio forte e enorme capacidade de prestação de serviços, será uma das grandes beneficiadas com a entrada em funcionamento deste quase faraônico empreendimento rural. Somente as criaturas de mentalidade tacanha não percebem a importância da
abertura deste leque de oportunidade para a população e para a economia da região.

Ao invés de criticar e assumir a condição de agente de inteligência financeira do Coaf, os políticos e empresários de Tangará da Serra, respaldados pela imprensa, deveriam parabenizar o senador e ministro Blairo Maggi pela ousadia do investimento e por contribuir para com o desenvolvimento de toda a região. Assim penso!

Edésio Adorno é advogado em MT 

Postagens Relacionadas

2 Comentários

  1. Inalda Pinheiro

    Muito bem…infelizmente existem esse tipo de pessoas que só pensam em denegrir os fatos, esquecendo-se de atentaren para o bem coletivo das pessoas e da nossa região. O grupo Amaggi é forte e só trará bons frutos para a nossa região. Acredito plenamente que essa empreitada renderá bons frutos.

    Resposta
  2. Rosane

    Kkkkk.Mais um municipio que vai ficar refém de apenas um grande latifundiario com a abertura de map de obra de zumbis sem bontade propria como ja tem acontecido com sapezal e campo novo do parecis

    Resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *