Topo

21 Fevereiro 2018 7:04 am

CAD Parecis em Campo Novo avança em pesquisas com foco na produtividade e rentabilidade em solos arenosos

CAD Parecis em Campo Novo avança em pesquisas com foco na produtividade e rentabilidade em solos arenosos

As pesquisas realizadas no Centro de Aprendizagem e Difusão (CAD) Parecis avançam em 2018. No dia 25 de janeiro, uma visita técnica foi realizada com foco na apresentação de resultados parciais do Programa de Manejo de Solos sobre fontes de enxofre, coberturas, ciclagem de potássio, doses de fósforo e formas de aplicação a lanço ou em sulco. 
 
Os dados foram apresentados pelos pesquisadores da Fundação MT, parceira da Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) no CAD Parecis. Estiveram presentes os delegados coordenadores da associação e demais produtores do entorno, o presidente da Aprosoja, Antônio Galvan, o vice-presidente da Região Oeste, Diogo Rutilli, e o diretor técnico, Wanderlei Dias Guerra. 
 
Como lembra Guerra, o CAD Parecis é um instrumento importante para a agricultura de Mato Grosso, uma vez que o plantio em solos arenosos vem crescendo ao longo dos anos. “Hoje, entre 25 a 30% do plantio é feito em solos arenosos e a tendência é que esse número cresça, já que temos a entrada de áreas que antes eram pastagens. Dessa forma, é importante termos o conhecimento sobre os tipos de plantas de cobertura, agregação de matéria orgânica e, principalmente, da ciclagem de nutrientes, como o potássio. Nestes solos, o potássio está sendo testado em diferentes doses aplicadas antes, no momento e após o plantio”. 
 
De acordo com Galvan, os dados são relevantes e, no futuro, podem refletir em diminuição dos custos e aumento da produtividade para os agricultores do Estado. “Os dados finais serão apresentados após a colheita, mas até o momento o que nós pudemos observar é que um manejo do solo planejado, utilizando-se quantidades específicas de nutrientes e realizando-se a cobertura mais eficiente levando em conta o tipo de solo, por exemplo, pode refletir diretamente na qualidade do grão e, posteriormente, na colheita”. 
 
Ainda sobre a palhada, o diretor técnico comenta sobre os resultados preliminares que puderam ser vistos no CAD. “Os dados já estão mostrando as diferenças de palhada e de ciclagem de nutrientes entre uma palhada de braquiária e uma palhada de milheto, por exemplo. A estação também está preparada e já começa, a partir da próxima entressafra, a fazer ensaios de diversos tipos de cobertura para o produtor poder decidir qual a melhor em termos de ciclagem de nutrientes, incorporação de palhada e produtividade na safra seguinte. Isso será feito ao longo de vários anos”, diz. 
 
O grupo da Aprosoja também pode visualizar durante a visita técnica a diferença de áreas conforme a aplicação de fontes de enxofre. “Tivemos áreas em que não foram aplicadas estas fontes, bem como outras duas em que foram aplicadas a mesma dose, porém de diferentes fontes, com resultados também bastante diferentes”, explica Guerra.
 
Exatamente por sua importância e futuro reflexo na gestão da produção, o presidente Antônio Galvan reforça que o CAD Parecis é um campo experimental voltado para os associados. “Todos nossos associados estão convidados a visitarem e se informarem sobre as pesquisas realizadas no CAD”. 
 
Informações e agendamentos – Para mais informações, procure a Central de Relacionamento da Aprosoja, pelo telefone (65) 3644-4215. O CAD está localizado na Rodovia MT-488, na Fazenda Vô Arnoldo – Agroluz, em Campo Novo do Parecis. A estação também pode ser visitada pelos associados, mediante agendamento. Os agendamentos podem ser feitos com o engenheiro agrônomo Élcio Bonfada, que coordena os trabalhos do CAD Parecis no dia a dia. O telefone é (65) 99995-7408. 

 

Gazeta MT/Assessoria

Postagens Relacionadas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *