Topo

18 Fevereiro 2018 3:54 pm

Piscinão de Campo Novo do Parecis: Apenas 65% da capacidade foi utilizada garante secretario

Piscinão de Campo Novo do Parecis: Apenas 65% da capacidade foi utilizada garante secretario

Assim como tem ocorrido em muitas cidades da região, Campo Novo do Parecis tem sentido alguns efeitos com as fortes chuvas que tem caído. No ano passado, o Município teve casas alagadas, o que novamente voltou a acontecer, mas não por falta de reservatório para armazenar a água, mas por um problema detectado na rede de drenagem que não comporta o grande nível d’água.

O secretário de Infraestrutura, Marcos Burgel de Campo Novo, que tranquilizou a população sobre os fatos.“Foi utilizado do piscinão atual, que a agente cavou esse ano em torno de 65% da capacidade e tem outro piscinão do lado, que quando um encher, começa a passar para o outro e ele ainda suporta uma chuva de aproximadamente 150 milímetros”, revelou.

No ano passado, além de casas alagadas, várias famílias precisaram sair de suas residências, o que graças a um trabalho bastante sério da administração, esse ano não ocorreu, embora algumas notícias tenham sido veiculadas. “Na verdade nenhuma família saiu de casa. Tanto é, que depois de 20 minutos que parou a chuva já tinha secado todas as avenidas. Nossa assistente social  visitou os locais e teve sim alguns  que entrou água nas casas, mas cerca de 10 a 15 centímetros e ninguém precisou sair”, reforçou.

Burgel aproveitou para tranquilizar a população e reiterar que a administração está dentro do possível, tomando todas as providências para que o Município não passe pelo que ocorreu no ano de 2017. “Dentro do possível, todas as medidas estão sendo tomadas, mas contra a força da natureza não tem muito o que fazer. Mas no que depender da administração, a população pode ficar ciente e tranquila que será feito”

Se chuvas persistirem, água poderá ser bombeada para rio

Conforme Burgel, em 4 horas, choveu no Município 127 milímetros. A chuva que começou às 4h30 horas da manhã e seguiu até às 8h30.

Embora haja ainda no piscinão capacidade em torno de 40% e outro ao lado, a administração já busca outras alternativas para o problema, para que a população não seja novamente prejudicada. “Nós já estamos fazendo contato com a Coprodia para que eles, assim como no ano anterior, nos ajudem com bombas, porque se alagar os dois piscinões o caminho é alagar as casas, porque não tem para onde ela ir”, destacou o responsável. “A gente coloca 4 mil metros de cano e faz ela subir o morro e esgota ela para o rumo do rio”, frisou, reforçando que ainda há uma boa estrutura com capacidade para colher as águas da chuva. “O que a gente está vendo em vistas do ano passado, é que a gente tem capacidade ainda muito grande, porque nessa época no ano passado, já estava os dois piscinões cheios. Estimamos que pode ser de até 150 milímetros que o piscinão suporta”, pontua.

 

Gazeta MT/Rosi Oliveira

Postagens Relacionadas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *