Topo

18 Fevereiro 2018 4:01 pm

Prefeitura diz que rompimento de PCH causou erosão e derrubada de mata vídeo

Prefeitura diz que rompimento de PCH causou erosão e derrubada de mata vídeo

O rompimento de barreiras em São José do Rio Claro (a 320 km de Cuiabá) causou erosão e derrubada de árvores, mas sem efeito social. A informação foi passada hoje (7) pelo chefe de gabinete da prefeitura, Valdemir Donizette Leite. 

“Ainda estamos calculando os estragos, mas podemos adiantar que houve mais problema de erosão, de mata derrubada, sem problemas com os habitantes. Os ribeirinhos conseguimos retirar a tempo e não são muitos atingidos. A situação está controlada”.

Vídeo divulgado nesta quarta por operadores da Defesa Civil e da secretaria estadual de Meio Ambiente (Sema) mostra o nível do rio Arinos com o rompimento de três barragens de PCH (Pequenas Centrais Hidrelétricas) na noite de domingo (4). A água invadiu matas e em alguns pontos deixou represa de lama formada com baixa da água.

A informação inicial divulgada na segunda (5) pela Defesa Civil, que aponta que o rompimento da barreira de uma PCH na fazenda Agromar, a 60 km de São José do Rio Claro, levou à quebra em sequência de outras duas barreiras. A Sema identificou cinco pontos de rompimento na primeira barreira. 

A empresa Agromar conseguiu licença para operar a PCH, com capacidade de geração de 0,28 megawatts, em 2013, tendo em vista que a potência é considerada de pequeno porte. A secretaria pondera ainda que a empresa poderá ser responsabilizada pelos danos ambientais eventualmente identificados.

 

Gazeta MT/Reinaldo Fernandes

Postagens Relacionadas

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *